Oi, bogotá! Tchau, Bogotá!

21:39




Primeiramente bora começar respeitando a cidade onde as lhamas desfilam de boa pelas ruas, certo? Fiz essa viagem em 2013 e passei pouco tempo na cidade mas foi o suficiente para me apaixonar, quero voltar. Cheguei em Bogotá três dias depois do esperado depois de um problema com a passagem. A raiva do imprevisto passou assim que eu cheguei de madrugada, no friozinho, e fui super bem recebida por Ana Maria, uma colombiana que me ajudou bastante, inclusive me hospedando na casa dela. 

No outro dia logo cedo fomos passear pelo centro da cidade. Estava rolando um festival de salsa e foi bacana sentir inveja das ver as colombianas detonando quando o assunto é dança. É encantador e super sexy! O centro de Bogotá é lindo. Prédios históricos, ruas cheias de gente apressada e cheiro de café nos restaurantes. A cidade me pareceu muito viva, tem sempre uma apresentação de música ali, uma peça de teatro sendo encenada em praça pública aqui, casais namorando em praças e barraquinhas de comida. 


Comer, aliás, foi o que eu mais fiz nessa viagem (que só durou três dias). Ana Maria me levou em incontáveis restaurantes (sério, eu nem me recordo em quantos) mas um dos locais que eu mais curti foi a La Plaza de Andres, que era tipo um paraíso de todas as comidas possíveis e imagináveis: vários restaurantes dentro de um único lugar. Comi até chorar! 

Uma coisa que fiz lá e achei super legal foi ir ao teatro. Na verdade, a uma rodada de shots de peças. A proposta é da Casa Ensamble, que na época que eu fui apresentava mini-espetáculos de 15 minutos cada. Adorei pois na época eu estava até afiada no espanhol e consegui acompanhar as apresentações bem de boa.

Bem turístico mesmo!
Um dos principais pontos turísticos de lá é o Monserrate: prepare o fôlego, as perninhas e suba... suba, agora suba com força! Em um dado momento uma plaquinha vai te dar ânimo ao te lembrar que você andou tanto (tipo 3,2 mil metros) que está mais perto das estrelas. Achei isso tão poético, me marcou muito, sério! 


Depois de todo o sacrifício e de chegar ao topo, saí provando tudo quanto era comida típica. A única que recordo que gostei muito foi o Tamal, é tipo uma pamonha salgada que comemos acompanhada de pão. No geral gostei muito de Bogotá e espero ter uma nova oportunidade para conhecer melhor a cidade, que inclusive não tem nada de violenta como ouvi muita gente dizer. Andei de ônibus e táxi (super barato, por sinal) e em todo o momento me senti super segura. 

Veja também

0 comentários