Passeio rapidão em BH: mercadão e circuito cultural

08:07


Pão de queijo, tutu, feijão tropeiro, doce de leite, doce de cidra, polenta, queijo canastra, maior índice de estabelecimentos comerciais com trocadilhos nos nomes (foto abaixo: PC Farinhas, brother! PC FARINHAS!) e os Ubers mais simpáticos, prestativos e respeitosos que eu já vi! Bem vindos a Minas Gerais, o lugar onde a gentileza de fato existe, a paixão por futebol é impressionante e o sotaque é a coisa mais gostosa do mundo de se ouvir!


Já contei aqui como foi a minha experiência viajando com meu avô e desde então tinha outra pendência para resolver: mini-férias para painho e mainha e daí, sim, sentir que eu poderia montar qualquer outro roteiro pra mim sem remorsos. O destino foi Minas Gerais, a primeira vez de mainha viajando de avião e de painho conseguindo se desligar (pela metade) do trabalho. Duas coisas inéditas e que eu precisava assistir nessa viagem... e foi isso que fiz, missão cumprida! 😉


Aproveitei o feriadão de setembro (de 07 a 10) e montei um roteiro simples e objetivo, do jeito que eles gostam. Sem muita caminhada, sem muito muído, focando em ponto turístico mesmo: Belo Horizonte (o básico) e Ouro Preto (o que eu mais gostei e o que mainha mais queria ver pois "quero saber se é igual como passa na televisão").


Foi massa pois para além de qualquer coisa foi um passeio que selou uma fase nova que tenho vivido em relação aos meus pais. Não foram poucas as vezes que me veio à memória aquela frase de "são crianças como você..." e caramba, nada melhor do que fazer as pazes com o meu passado, me colocar em contato com tudo isso e lembrar desse "marco" como sendo uma viagem ao lado deles. Aliviada é a palavra! ;)


Pegamos o voo de Recife depois de um vacilo meu, pois as passagens saindo de Campina Grande estavam bem baratas! Mas segue o baile: desembarcamos no aeroporto de Confins... e bota confins do mundo nisso! De lá até o centro de Belo Horizonte dá aproximadamente 40km e só de Uber pagamos R$ 85,37. Estava pronta para budejar e cuspir maribondos quando entramos no carro e... fomos recebidos por um homem pra lá de simpático, que contou a história de BH de cabo a rabo, ainda nos mostrou a Pampulha e falou bem explicadinho de cada ponto turístico! Detalhe: essa atitude solícita se repetiu com absolutamente todos os outros Ubers que pegamos. Eu, painho e mainha já ficamos encantados!

HOSPEDAGEM

Por lá ficamos hospedados no Othon Palace, localizado na rua Afonso Pena. Recomendo super! Quarto com janelão enorme e apesar de ter um aspecto de hotel das antigas de filme de terror e de tomar um susto ao ver o tamanho do meu quarto (enorme e dava pra fazer uma festa e chamar uns 30 convidados), achei a localização muito boa! Em especial por estar com painho e mainha, que queriam ver só o 'miolo' de BH mesmo.


A hospedagem (por quarto) saiu em média R$ 500,00 para três noites, um orçamento que eu definitivamente não ia encarar se viajasse sozinha (fico em Airbnb ou Hostel, sempre). Mas por estar com meus pais e por ter ganho a hospedagem, então foi tranquilo.


O QUE VISITAMOS? 

Muito verde! O Parque Municipal de Belo Horizonte fica bem em frente ao Othon Palace, então foi bem de boa passear por lá e inclusive painho aproveitou o espaço para caminhar cedinho e disse que era bem tranquilo, que se sentiu seguro. Mas apesar de ser muito bonito, dá pra notar que o lugar merecia ser melhor cuidado. Deu pra ver muito lixo espalhado por lá e a sensação de abandono me deu agonia.


Tem lanchonetes (com água de coco a R$ 6,00 vou logo avisando!), banquinhos super convidativos pra ficar lá bem de boa vendo a galera passar, parquinho e passeios de barco (como podemos ver, o remador cobra R$ 6,00 pelo tour no laguinho, hehehe). 


Tem uma ponte lá bem bonitinha e é bem romântico ficar vendo os casais passando debaixo dela nos barquinhos. Curti, só não ficamos mais tempo lá pois tínhamos pouco tempo para visitar muita coisa e o próximo ponto era o que eu mais queria ver: o circuito de museus! 



Circuito cultural da Praça da Liberdade

Tem muuuita coisa pra ver e por causa da correria só visitamos dois museus. Mas recomendo ir com calma para ver tudo o que o Circuito Cultural Praça da Liberdade tem para oferecer, pois o espaço é classificado como o maior conjunto integrado de cultura do Brasil! A recepção já começa sendo muito massa se você passar pela Praça da Liberdade, é um lugar tão bonito que quando eu cheguei fiquei com vontade de sair correndo de braços abertos... e o fiz, uai! Hahaha! :D


Os antigos prédios públicos foram transformados em museus e quase todos focam em estruturas interativas, como é o caso do Museu das Minas e do Metal. Dá pra ver turmalina, diamante, todo tipo de pedra e o bacana é que tem umas partes lá que usam hologramas. As projeções são muito bacanas, mainha ficou bestinha e eu mais ainda, hahaha! 


O Memorial Minas Gerais da Vale também é fantástico! Por lá dá pra conhecer muito da cultura local, tem um mini-bar que vende as principais cachaças produzidas no Estado (essa parte aí foi a que painho quis tirar foto, claro!) e de quebra ainda dá para visitar exposições que mostram como era o estilo de vida nas fazendas de antigamente. 


Mercado Central de Belo Horizonte
Vou dizer aqui que eu gostei mais do mercadão de BH do que o de São Paulo? Não, é trairagem demais, hahaha! Mas que é mil vezes mais bonitinho que o de Porto Alegre, é sim! Comidas típicas de sobra, artesanato e muuuuito aperto na sexta e no sábado. Os restaurantes mais "famosinhos" (tipo o Casa Cheia) tem fila enooorme para entrar e por causa disso procuramos outro boteco e deixamos pra visitar a "matriz" desse restaurante no outro dia, à noite. 


Lá experimentei uma das coisas mais gostosas e de mistura mais improvável da vida: abacaxi, cebola e queijo provolone. Muuuito delicioso! Mas o prato mais famoso de lá é o bife acebolado com Jiló (é tipo o sanduíche de mortadela de SP) e não faltam nas mesas.


É engraçado sentir o clima de lá, a maneira como os moradores tomam o espaço como lugar de passeio mesmo e basta uma pessoa puxar um hino de futebol e do nada o mercado inteiro estará cantando junto! Ah, e se for beber cerveja e arriscar o xixi, se ligue pois cada ida ao banheiro público de lá custa R$ 1,00... só avisando mesmo!


Futebol, comida e boteco: paixões mineiras
Três coisas que dá pra notar de longe: os mineiros tem paixão por futebol, boteco e comida! O restaurante Casa Cheia é bem interessante para quem chega em BH com curiosidade para ir num lugar e sair provando tudo quanto é de comida típica. Feijão tropeiro, todo tipo de carne, enfim... lá eu pedi um prato chamado Mineirinho Valente, que é canjiquinha (o xerém da Paraíba) com queijo, lombo defumado (mas eu pedi para tirar), costela desossada ao vinho e linguiça caseira (pedi pra tirar também) e espinafre. Acompanha arroz com brócolis ao alho e fritas. Muuuito bom, até hoje sonho com esse prato! 


Outro lugar bacana é a Pão de Queijaria, fui lá encontrar um amiga minha (Sílvia: rainha!) e amei. Super recomendo, de verdade! Como um pão de queijo quentinho e molho de queijo canastra, puuutz. Fui no céu e voltei. Lá também tem uma polenta que é dos deuses. A Pão de Queijaria fica no bairro Funcionários e era relativamente perto do hotel onde eu estava. Aproveitei e depois fui visitar alguns bares na Savassi, o bairro é conhecido por ser bem badalado. E é mesmo! Fomos no Bombshell Bar, que tem drinks com nomes bem engraçados do tipo: Kátia, a Cega e Cão chupando manga. 😁 Tem outro bar lá que é bem comentado, o Santeria. Fiquei curiosa para conhecer, mas estava lotado quando chegamos lá. 


Na noite dos passeios pelos bares estava rolando o jogo do Flamengo e Cruzeiro e durante todo o tempo dava para ouvir o que parecia ser um estádio inteiro gritando. Perguntei até para Sílvia se estávamos perto de algum campo de futebol, e ela disse que não, era só a empolgação normal da galera mesmo ecoando e preenchendo as ruas de BH. Tipo, os torcedores e torcedoras se unem nos botecos e ruas e realmente ficam assistindo ao jogo na TV mas parece que estão lá... dentro do campo, chutando a bola com os jogadores!


E é claro que painho foi visitar uma das lojas do Clube Atlético Mineiro, o "Galo" de lá. Foi na nossa segunda noite em BH e ele ficou feliz da vida! Depois fomos jantar com mainha e voltamos cedinho pois no outro dia tinha oura aventura pra eles: viajar de busão até Ouro Preto! Quando estávamos voltando para descansar e retomar os passeios me veio aquela música que fala que "pra nós dois sair de casa já é se aventurar..." - muito parecida com a empolgação e alegria deles. 😊

Veja também

0 comentários